Diabetes na Gestação

Saiba quais são os riscos para o bebê e como é feito o tratamento

        Você sabia que o Diabetes ser diagnosticado em até 15% das gestações?  Veja quais são os riscos para mãe e para o bebê. Descubra quais são os exames para acompanhamento e como é feito o tratamento.

Como surge o Diabetes Gestacional?

Toda vez que nos alimentamos, o nível de açúcar no sangue sobe e o principal hormônio responsável para baixar esta taxa é a insulina.

Durante a gravidez há um aumento da resistência a ação deste hormônio (causado pelo feto e placenta), fazendo com que o organismo da mãe precise produzir uma quantidade maior de insulina. Em cerca de 5 a 18% das gestações, esta produção não é suficiente e se desenvolve o Diabetes Gestacional.

Quais são os riscos para o bebê e para a gestante?bebe

                Macrossomia Fetal:

É o mais comum. É o bebe grande para idade ou acima do peso.  Isto pode provocar complicações na hora do parto (normal ou cesariana) como, por exemplo, lesão do ombro do bebê.

                Pré-Eclâmpsia:

                               Pressão Arterial alta na gravidez e suas complicações são mais comuns em Diabéticas

                Parto Prematuro ou perda fetal:

                               O Diabetes não controlado pode provocar o parto antes do bebê se maturar por completo, necessitando de suporte de vida em UTIs neonatais.

                Malformações Fetais:

                               A mais comum é alteração no coração do feto. Também podem ocorrer anencefalia  e espinha bífida.

                               Dificuldade na maturação do pulmão do bebe também pode ocorrer.

                Hipoglicemia Neonatal:

                               Como o feto está “acostumado” com os níveis altos de açúcar no sangue, podem ocorrer quedas bruscas nas taxas de glicose logo após o parto e ele precisar de acompanhamento especializado em UTI neonatal.

Quem tem mais risco de desenvolver Diabetes na Gestação?

                A mulher que possuir estes fatores de risco:    

  • História de Diabetes na família
  • Diabetes em outras gestações ou bebês grandes para idade (> 4 kg)
  • Portadoras de Síndrome dos Ovários Policísticos
  • Obesas

Como é feito o diagnóstico?

                Durante a gestação em mulheres saudáveis, as taxas de açúcar no sangue são naturalmente mais baixas. Por isso, o diagnóstico é feito com níveis menores de glicemia.

                O teste deve ser solicitado para mulheres com risco aumentado para Diabetes quando atingirem 24-28 semanas de gestação. No entanto, a glicemia de jejum pode ser solicitada no início da gravidez para identificar as que já são previamente Diabéticas e não sabiam.

Teste de Tolerância a Glicose:

                Existem diversos modelos de testes, mas o mais comum é realizado com um líquido doce (75g de glicose) e a glicemia (nível de açúcar) é verificada 3 vezes.

                Ínicio: normal até 92 mg/dL

                60 minutos: normal até 180 mg/dL

                120 minutos: normal até 153 mg/dL

Como controlar e monitorizar o Diabetes?

                É fundamental fazer uma dieta pobre em carboidratos (açúcares, farináceos, leguminosos) e recomenda-se a prática de exercícios leves.

                Recomenda-se fazer medidas da glicose na ponta do dedo (HGT) antes e 2 horas após as refeições.

Quais são os níveis de glicose recomendados?

                A Associação Americana de Diabetes recomenda:

  • Jejum e antes das refeições: até 95 mg/dL
  • 2 horas após as refeições: até 120 mg/dL

Quais medicações são seguras na gravidez?

  • Metformina (Glifage): Considerada segura na gestação. Foi utilizada em diversos estudos, sem problemas para mãe e feto.
  • Glibenclamida: alguns estudos sugerem que possa causar quedas na glicose do bebê, ganho de peso materno e fetal, devendo ser utilizada com cautela.
  • Insulina (lispro, asparte, determir, NPH e regular): segura na gestação. Frequentemente é necessária, especialmente se houver crescimento fetal excessivo.

Boa parte dos novos medicamentos orais para Diabetes ainda não foi aprovada para uso na gestação.

Quais são os exames recomendados durante a gestação?

Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes:

1o trimestre

  • Ultrassonografia (US) para avaliar idade gestacional/ translucência nucal para avaliar possibilidade de malformações fetais

2o trimestre

  • US morfológica para avaliar malformações – 20a a 24a semana
  • US com Doppler das artérias uterinas e artérias umbilicais – 26a semana
  • Ecocardiograma fetal – 24a a 28a semana (em casos de diabetes preexistente)
  • Em casos complicados, a US pode ser realizada mensalmente a partir da 24a semana para avaliar o crescimento fetal e polidrâmnio

 3o trimestre

  • Cardiotopografia basal a partir de 34 semanas (semanal)
  • Doppler de artérias umbilicais se houver hipertensão arterial sistêmica, toxemia ou vasculopatia
  • Contagem de movimentos fetais: orientar a partir de 28 semanas

Lembre-se que a solicitação de exames depende de caso a caso e deve ser avaliada pelo seu médico. Evite exames desnecessários.

Qual o risco de continuar com Diabetes após o parto?

                Os níveis de glicose costumam normalizar imediatamente após o parto, mas risco de repetir o quadro na próxima gestação é de cerca de 60%.

Mulheres obesas que tiveram Diabetes na gestação tem um risco de até 50% de se tornarem Diabéticas no futuro.

                Novos exames devem ser realizados 4-6 semanas após o parto.

PERGUNTAS FREQUENTES:

Devo continuar com os medicamentos após o parto?

Geralmente não é necessário. Novos exames devem ser feitos após 6 semanas.

O parto deve ser por cesariana?

                Não necessariamente. A escolha da via de parto ocorre da mesma forma que em outras gestações.

O parto deve ser antes do tempo?

                Parto a termo é considerado a partir das 37 semanas. Não há necessidade de ser antecipado.  Geralmente o parto é induzido ou a cesariana é realizada com 39 semanas, variando de caso a caso.

A amamentação pode ser realizada?

                Sim, o leite materno é muito importante para o bebe. 


#conteudo2#

#htmlPersonalizado#