Perguntas e Respostas sobre o Hipotireoidismo

Tudo que você precisa saber sobre a falta do hormônio da Tireoide

O hipotireoidismo é uma doença muito frequente e de simples tratamento. Sabemos que o hormônio da tireoide é responsável por regular muitas das funções do nosso organismo, mas os sintomas da deficiência no hormônio da tireoide podem ser confundidos com os de diversas outras doenças.
          Nesta semana recebi uma solicitação para responder um questionário de uma aluna do ensino médio e achei as dúvidas muito pertinentes. Vamos aprender um pouco mais sobre o hipotireoidismo?

Como é definido o hipotireoidismo?

     Hipotireoidismo significa a deficiência na produção ou liberação do hormônio da tireoide (Tiroxina ou T4 e T3).

O diagnóstico é feito através das dosagens dos hormônios TSH (geralmente está em níveis elevados) e T4 livre (em níveis baixos).

É possível se prevenir deste problema de saúde?

     Manter uma dieta balanceda, rica em frutas, vegetais e alimentos que contenham a quantidade necessária de iodo é importante. No Brasil, o sal de cozinha recebe a suplementação de iodo o que nos protege contra a sua deficiência. Não é necessário realizar suplementação com lugol (iodo) ou outras substâncias.


Quais são as causas do hipotireoidismo?

     A principal causa de hipotireoidismo primário (doença da tireoide) é uma doença auto-imune chamada Tireoidite de Hashimoto. O dano à tireoide é causado por uma inflamação crônica e indolor que reduz sua capacidade de produzir hormônios.

Outras causas de hipotireoidismo incluem o uso de medicamentos como a Amiodarona (para arritmia cardíaca) e o Carbonato de Lítio (para depressão e humor bipolar), além da falta de iodo na dieta (comum em regiões mais pobres da África).

O hipotireoidismo secundário ocorre quando há alguma doença que acometa a hipófise (glândula localizada no cérebro que produz o hormônio estimulante da tireoide – TSH). É muito menos frequente (menos de 5% dos casos).

     O uso de lugol (suplemento rico em iodo) sem recomendação médica também pode provocar o hipotireoidismo por um fenômeno conhecido como Wolff–Chaikoffonde a produção de hormônios é bloqueada pelo excesso de iodo no organismo.

Quais são os sintomas mais comuns do hipotireoidismo?

Os sintomas mais comuns são:

Cansaço crônico

Queda de cabelos

Fragilidade das unhas

Alterações no hábito intestinal (constipação)

Pele seca e fria

Sentir mais frio que as outras pessoas

Irregularidade dos sangramentos menstruais

Ganho de peso progressivo sem aumento na ingesta calórica

Quais são os tratamentos para esta doença?

     O tratamento para o hipotireoidismo é realizado através da reposição do hormônio da tireoide (levo)tiroxina ou T4. O uso é simples, 1 vez ao dia, em jejum.

O uso do hormônio T3 não é recomendado pois sua liberação não é tão eficaz e estável como a da tiroxina (T4).

O ajuste da medicação e avaliação dos exames laboratoriais deve ser realizado frequentemente no início do tratamento e pelo menos uma vez ao ano após acerto da dose.

     Quer saber mais sobre o tratamento do hipotireoidismo: clique AQUI para ver o meu artigo sobre o uso correto da medicação.

O hipotireoidismo é hereditário?

     Não há uma causa genética específica que provoque o hipotireoidismo. No entanto, parentes próximos de pessoas com hipotireoidismo possuem uma chance maior de desenvolverem a doença.

O hipotireoidismo pode ser confundido com ansiedade e depressão?

     Sim, os sintomas são semelhantes. A avaliação da tireoide faz parte dos exames iniciais solicitados pelos psiquiatras ao avaliarem um paciente com suspeita de depressão.

A alimentação pode ajudar no controle do hipotireoidismo?

     Manter uma dieta balanceda, rica em frutas, vegetais e alimentos que contenham a quantidade necessária de iodo é importante. No Brasil, o sal de cozinha recebe a suplementação de iodo o que nos protege contra a sua deficiência. Não é necessário realizar suplementação com lugol (iodo) ou outras substâncias.

O hipotireoidismo pode ser congênito?

     Sim, o hipotireoidismo pode surgir no feto durante a gestação e causar alterações importantes no crescimento e desenvolvimento cognitivo da criança. Devido a isto, o exame para detecção do hipotireoidismo faz parte do “teste do pezinho”que deve ser realizado nos primeiros dias de vida.

Como saber se é necessário fazer algum exame para a tireóide?

    Caso a pessoa desenvolva alguns dos sintomas descritos acima, deve procurar um médico para uma avaliação mais apropriada.

O que é o hipotireoidismo subclínico?

     O hipotireoidismo sub-clínico é uma fase em que os hormônios ainda estão “equilibrados” e geralmente não causam sintomas importantes. O diagnóstico é feito quando as taxas do TSH (hormônio estimulante da tireoide) estão elevadas e as do T4 livre (hormônio da tireoide) ainda estão normais. A evolução para o hipotireoidismo doença manifesta é variável (em torno de 3-10% ao ano). O tratamento pode ser indicado ainda nesta fase da doença de acordo com a avaliação médica.

É mais comum em homens ou mulheres?

     O hipotireoidismo é 9 vezes mais comum em mulheres, especialmente na faixa dos 30 aos 60 anos de idade.