Osteoporose: como prevenir fraturas?

A fratura de quadril pode ter uma taxa de morte em um ano tão alta quanto alguns tipos de câncer! Saiba como manter a saúde óssea e evitar a osteoporose

.A osteoporose é uma doença que é caracterizada pela fragilidade óssea com risco aumentado de fraturas, até mesmo em pequenas quedas. Estima-se que ocorreram 9 milhões de fraturas osteoporóticas no mundo no ano 2000.

Quais os problemas decorrentes da Osteoporose?

A fragilidade óssea provoca o aumento de risco de fraturas em geral, em especial no quadril. As fraturas podem ocorrer até mesmo ao se levantar da cama ou quedas da própria altura.

Fratura de quadril (fêmur):

É uma condição comum em pessoas idosas.A taxa de morte em um ano após uma fratura de quadril pode ser muito alta (até 30%) e equivale a alguns tipos de câncer ou até mesmo a pessoas que sofreram um infarto cardíaco. 
Por que uma fratura de quadril é tão perigosa?

É perigosa porque a doença acomete pessoas idosas, mais frágeis, que precisam ser internadas (risco de infecção hospitalar). Além disso, estes idosos podem apresentar uma recuperação lenta devido a dificuldade de mobilidade (risco de trombose venosa e embolia pulmonar). Quanto mais debilitada for a pessoa (pressão alta, Diabetes, doenças cardíacas, demência), maior o risco de morte.

Fraturas de coluna:

Podem causar redução da estatura e dor crônica nas costas. 

O segredo para evitar as fraturas é a prevenção através da detecção precoce da osteoporose! 

Como é diagnosticada a Osteoporose?

A densidade mineral óssea é avaliada através da densitometria óssea, um exame semelhante ao raio-x de corpo inteiro. Existe um estágio intermediário de baixa mineralização chamado osteopenia. Veja os resultados possíveis do exame:

Resultados da Densitometria Óssea (em mulheres na pós-menopausa e homens acima de 50 anos): 

Normal: escore T: valores positivos e até -1,49 DP

Osteopenia:escore T: de -1,5 a -2,4 DP

Osteoporose:escore T: menor ou igual a -2,5 DP

Quais são os fatores de risco para Fraturas e Osteoporose?

  • Idade avançada
  • Tabagismo
  • Consumo de álcool em excesso
  • Uso crônico de corticóide (prednisona, dexametasona, etc)
  • Baixo Peso
  • Fraturas prévias e história Familiar de Osteoporose

Outros fatores de risco menores

  • Baixa ingesta de Cálcio
  • Deficiência de Vitamina D
  • HIV e algumas medicações usadas no seu tratamento
  • Artrite Reumatóide
  • Menopausa precoce
  • Falta do hormônio masculino em homens (p. ex tratamento do Câncer de Próstata)
  • Doenças disabsortivas não tratadas (D. Celíaca, D. inflamatória intestinal)
  • Doenças do metabolismo ósseo (raquitismo, hiperparatireoidismo)
  • Excesso do hormônio da tireoide (hipertireoidismo)

Vale lembrar que a doença é muito mais comum em mulheres. O hormônio feminino (estrogênio) protege os ossos durante o período fértil.

Quando é indicado realizar o exame preventivo “screening” para detectar osteoporose? 

  • Mulheres na pós-menopausa acima dos 65 anos
  • Mulheres antes dos 65 anos se fatores de risco (p. ex menopausa precoce)
  • Homensacima dos 75 anos ou com fatores de risco
  • Em algumas situações especiais (usuários de prednisona, artrite reumatoide, etc) a avaliação deve ser caso a caso. 

Quando deve ser repetido o exame?

            Geralmente deve ser repetido a cada dois anos. Em alguns casos, pode ser feito controle anualmente. 

Como é feito o tratamento da osteoporose?

            O nosso corpo está em constante modificação. Células nascem e morrem em uma proporção equilibrada. O mesmo ocorre com os ossos: são formados e desfeitos o tempo todo!

            A osteoporose ocorre pois a velocidade com que os ossos são “desfeitos” é maior que a velocidade com que são repostos.

            Vale lembrar que os ossos são o estoque de cálcio do corpo. Quando a alimentação não fornece a quantidade correta, as células chamadas osteoclascos se encarregam de retirar o cálcio dos ossos e liberar na corrente sanguínea, mantendo os níveis de cálcio normais no sangue.

 Prevenção de Quedas:

            Podem parecer simplórias, mas são medidas muito eficientes:

  • Retirar tapetes (ou utilizar antiderrapantes)
  • Retirar fios soltos
  • Usar apoios para chuveiro e vaso sanitário
  • Instalar corrimão nas escadas
  • Manter o piso da casa seco
  • Revisão anual da visão com oftalmologista

 Não farmacológicas

  • Não fumar
  • Não beber álcool em excesso
  • Praticar exercícios físicos
  • Evitar uso de medicações sem orientação médica

Suplementação de Cálcio:

            A ingesta adequada de cálcio é fundamental para a adequada mineralização óssea.

            ATENÇÃO: a densidade dos ossos é formada até aproximadamente os 30 anos de idade! O cuidado com a dieta deve começar cedo!

            A quantidade adequada de Cálcio para pessoas com baixa densidade óssea é de 1200 mg de Cálcio Elementar por dia.

Alimentos ricos em Cálcio

Leite de Vaca (um copo cheio, 250ml) 300 mg
Iogurte (160 g) 250 mg
Queijo (duas fatias aprox..) 200 mg
Leite de Soja (um copo cheio, 250ml) 250 mg

            Como vocês podem ver, é difícil conseguir 1200 mg somente com a dieta. Por isso existem MUITOS suplementos para vendanas mais diversas formas:

Carbonato de Cálcio:Oscal, Caldê, Osteofix

Citrato de Cálcio:Prosso, Miocalven

Fosfato de Cálcio: Osteonutri

ATENÇÃO: a medida importante é quantidade de CALCIO ELEMENTAR (puro)!

Com frequência a indústria “engana” os pacientes informando a quantidade do sal (carbonato, citrato, fostato). Vou explicar melhor: a fórmula do carbonato de cálcio, contém somente 40% de cálcio puro, o resto é o carbonato. No Citrato, somente 20% é cálcio puro.

O importante é verificar na bula ou na tabela nutricional para verificar a quantidade correta (usualmente 500-600mg de cálcio elementar por comprimido). As vezes a medicação pode estar custando menos que a concorrência, mas conter menos cálcio, prejudicando o tratamento.

Suplementação de Vitamina D:

            A vitamina D é absorvida através da luz solar. Uma exposição de 30 minutos ao dia (até as 9h e após as 16h) dos braços e face é recomendada.

A dose de manutenção é de 800 ui ao dia de vitamina D. Em alguns casos, pode ser realizada a dosagem no sangue e corrigir os níveis com uma quantidade maior de vitaminas (sob orientação médica). O nível ideal é acima de 30 ng/mL.

Bifosfonatos (alendronato, risendronato, ácido zoledronico):

            São medicações indicadas apenas para os casos de Osteoporose definida ou casos de osteopenia com muitos fatores de risco para fratura. Devem ser utilizadas sob orientação médica e agem inibindo tanto a formação quanto a reabsorção óssea.

            ATENÇÃO: o uso dos bifosfonatos tem “prazo de validade”.

Estas medicações são geralmente utilizadas por até 5 anos. Em casos especiais, o tratamento pode ser mantido por até 10 anos. Vale lembrar que a medicação continua agindo por vários anos após a interrupção do uso.

            Perguntas Frequentes:

- Osteoporose causa dor?
          Usualmente não. Geralmente ocorre dor quando há fratura nas vértebras (compressão das raízes nervosas) ou fratura do quadril (fêmur).

  - Posso fazer musculação mesmo com osteoporose?
            Na maioria dos casos, sim. Exercícios com impacto podem ajudar a estimular a reconstrução dos ossos desde que feitos sob supervisão de um profissional da área.

- Posso fazer reposição semanal de Vitamina D?
            Sim. A vitamina D possui uma liberação muito lenta no organismo. Pode ser realizada a reposição semanal na maioria dos casos.

FONTE
                  UPTODATE - SITE MÉDICO PAGO