Suplementos para baixar o Colesterol: fatos vs. mitos

Descubra quais alimentos e suplementos são realmente eficazes para controlar os níveis de gorduras no sangue.


Os níveis elevados de gorduras no sangue estão associados às principais doenças cardiovasculares como Infarto Cardíaco e AVC. Neste artigo descubra quais os alimentos e suplementos são realmente eficazes em ajudar a baixar os níveis de colesterol e triglicerídeos.

Óleo de Peixe e Omega 3:  FATOsalmao

Foi constatado que populações que possuem uma dieta rica nestas substâncias apresentam menores taxas de doenças cardiovasculares. O omega 3 é rico em gorduras poli-insaturadas e está presente em peixes gordurosos como Salmão, nas oleaginosas (castanhas, nozes, amêndoas) e em óleos de canola e linhaça.

O ômega-3 também pode ser encontrado à venda em farmácias na forma de cápsulas.  Doses altas (>6g por dia) podem reduzir os níveis de triglicerídeos. Um estudo com dose de 15g conseguiu reduzir os triglicerídeos em 50%. No entanto, como terapia, o ômega-3 e óleos de peixe não são tão eficazes e muito mais caros que os medicamentos. Devem ser utilizados de forma complementar.

Soja e Isoflavonas: DUVIDOSO

O Tofu e “carne” de soja são uma boa fonte de proteínas, pobres em gorduras saturadas, ricas em insaturadas (gordura boa), por este motivo, substituir parte da ingestão de carne vermelha por estes produtos pode ajudar a baixar os níveis de colesterol e o risco cardiovascular.

Atenção: o uso da isoflavona para prevenção de doenças cardiovasculares não está recomendado pela Sociedade Americana de Cardiologia, pois há um possível aumento de risco de câncer de mama e o seu benefício ainda não foi comprovado adequadamente.

Óleo de Coco: MITOoleo-coco

Este óleo está na moda, sendo utilizado até para perda de peso. No entanto, segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia, não deve ser utilizado para este fim.

O óleo de coco industrializado pode conter altos teores de gorduras saturadas(como ácido láurico). Seu benefício não foi adequadamente comprovado e podem ser deletérios. Em seu recente parecer, a sociedade não recomenda seu uso até mesmo para preparo de alimentos.

Alho: DUVIDOSO

            O alho apresentou um certo benefício no risco cardiovascular em estudos com poucos pacientes. Entretanto, esse benefício não foi comprovado quando mais pacientes foram estudados. Foram utilizadas diversas formas de alho e não houve benefício. Seu uso não está recomendado como suplemento, mas pode ser utilizado na dieta normal sem problemas.alho

Polifenóis (Azeite de Oliva): FATO

Os polifenóis estão presentes no café, chocolate, azeite de oliva e vinho tinto e parecem ter efeitos antioxidantes, moduladores da imunidade e vasodilatadores, o que pode contribuir para redução do risco cardiovascular. 

O resveratrol presente no vinho tinto parece ter efeitos em diminuir a inflamação nas artérias entre outros. No entanto, este benefício precisa ainda não foi devidamente comprovado na população em geral. Talvez a quantidade necessária seja muito alta para ser obtida no vinho tinto.azeite

Nozes e afins: FATO

            Nozes são ricas em gorduras poli-insaturadas (gorduras boas) e tem efeito na redução dos lipídios.

Um grande estudo realizado na Europa, chamado PREDIMED, comparou uma dieta normal com a dieta mediterrânea suplementada com uma porção diária de 30 gramas de oleaginosas  (15g de nozes, 7,5g de avelãs, 7,5g de amêndoas) OU óleo de oliva extravirgem. O grupo das nozes teve a maior redução nos níveis de colesterol seguido do grupo do azeite de oliva, apesar do aumento de calorias provocado pelas “gorduras boas”. Além disso, houve redução de problemas cardiovasculares, principalmente acidente vascular cerebral (AVC).

Fibras: FATO

Uma dieta rica em alimentos integrais, principalmente em fibras solúveis como psyllium, aveia e pectina, parece reduzir os níveis de colesterol ruim (LDL). 

Além disso:

-
mantenha uma dieta pobre em carboidratos e gorduras hidrogenadas

- pratique exercícios regularmente. Saiba como no meu artigo sobre exercícios clicando aqui

Fonte e links úteis

1.  Sociedade Americana de Cardiologia
Sociedade Europeia de Cardiologia
uptodate (site médico pago)